Saturday, August 11, 2007

Fase Boa Porque:

Mora só.
Almoça sozinha.
Janta sozinha.
Conversa com as plantas que estão
bem distribuídas na janela do banheiro.
Com a lata de azeite logo no primeiro gole de vinho tinto.
Tinta. Pinta.
Os olhos e a boca antes de sair de casa.
Os cabelos. Deixa crescer.
Formada em Artes Plásticas pela FAAP
resolveu agora aos 28, voltar a estudar.
Pra ocupar o tempo que não tem.
Ausência de si.
Matriculou-se na Pós de Comunicação
com ênfase em Jornalismo Cultural pela PUC.
E tem adorado ir até lá três vezes por semana
pra pensar literatura, cultura, arte e religiosidade.
Trabalha com moda desde menina - estilista.
Faz disso um comércio, com três lojas pra cuidar
de segunda a sábado.
Aos domingos dedica-se ao sol que vêm
visitá-la depois do meio dia.
Se o dia insistir no cinza ela sai pra correr,
pra nadar, pra ver exposições, teatro, cinema.
Nada de ficar em casa!!!
Não tem visto nada na TV.
Precisaria de muitas ritalinas
para chegar ao final dos DVDs
que tem na estante do quarto.
Mas não se droga porque não tem acesso a elas.
E não sente nada.
Nem sente muito.
Ainda...
Isso a tem deixado um tanto transtornada.
Se bem que “tudo bem”. Vai passar.
Pensou em andar numa montanha russa
pra ver de novo seu coração palpitar.
Alimentou a chance de levar uma surra
pra ver se a dor residia novamente em seu corpo.
Mas tudo não passou de projetos.
Odeia projetos.
Gosta de executar.
É pragmática.
Funcional.
Desenha poesias e gosta muito de escrever
em seu livro de cabeceira,
que na verdade não é de cabeceira, mas de bolsa.
Fica na bolsa. Preta como as unhas.
Dentro, dois comprimidos de neosaldina,
uma aspirina efervescente,
uma pasta e escova de dente,
uma cartela de dorflex (parcialmente consumida),
um livro quase no fim.
A agenda,
as contas a serem pagas,
uma caixa de antiinflamatórios
receitada por seu amigo psiquiatra,
alguns elásticos e presilhas de cabelo.
O celular.
A chave do carro, da casa,
das lojas e do seu cofrinho que não
tem nada dentro, a não ser
lembranças que ela não consegue
deixar espalhadas pelo apartamento.

2 comments:

alex said...

adoro adoro adoro tudo o q vc escreve


bjobjo
=)

rafael fermiano said...

digamos que vc tem praticamente uma sociedade alternativa dentro de sua bolsa...

gostei do desenhos, poemas desenhado, e textos recitados...

abraço