Friday, February 13, 2009

friozinho por dentro.
















Atravessou a rua com uma ideia fixa.
Ser feliz.
Porque sente-se meio obrigada.
Desde pequena.
Aos quinze relembra,
a mãe questionou a falta de sorrisos dela
pela primeira vez. Depois só silêncio.
Foi nesta mesma época que passou a fingir.
Porque assim é que é.
Ser adulto é um pouco isso.
Também, parou pra pensar,
se não for feliz agora, quando será?

A insatisfação a acompanhou até
o outro lado da calçada.
Grudou nela o dia todo.

Incomodada.
Comemorou quando o dia terminou.
Feio, amargurado e triste.
Feito de um chuvisco previsivelmente chato.
Não foi nada emocionante.

Na volta para casa ela evitou olhar ao redor.
Já não queria mais nada.
Apenas a continuidade.
Mesmo que signifique isso.

6 comments:

Carol said...

Ha algum tempo venho acompanhando o seu blog, mas hj resolvi comentar pois me identifiquei muito com esse post!Resume coisas que estou sentindo, parece que vc entrou na minha cabeça e arrancou meus pensamentos!

Marii said...

Vi seu blog e resolvi acompanho-lo.ele é muito lindo.
quando puder passa la no meu.
Beijinhoos *__*

B. said...

"Se não for feliz agora, quando será?"

Muito bom!

Adriane Hagedorn said...

a angustia perambulou ávida nesta sexta!
a minha se instalou há um tempinho e não sei mais se continua a andar com ela como uma mochila nas costas ou se viro a mesa. vamos marcar um café essa semana? ou melhor: um clube da luluzinha no ritz? mas desta vez, just girls! topa?

Marina said...

linda foto, lu!
bjoca
marina v.

Rita Taraborelli said...

Que linda!
Mas "sê" feliz...