Friday, February 27, 2009

ontem

Saiu do trabalho.
Passava das oito e meia da noite.
Comprou um jantar rápido para dois.
Chegando em casa foi direto ao chuveiro.
Mas antes fez tocar Philip Glass no
pequeno aparelho que reside em cima do piano.
Bem alto.
Ao sair do banho percebeu que uma estranha
sensação de tristeza havia preenchido seu corpo.
Todo. Menos a cabeça.
Esta estava perdida dentre todas as
possibilidades de uma noite feliz.
Enfiou-se num pijama quente, mas nem estava frio.
Abriu a janela que fica na cabeceira
da cama e deitou ali mesmo.
Bem na cara do vento que
fazia a cortina dançar.
Alegremente.
Não faltava-lhe ar.
Quando ele abriu a porta,
os olhos dela já estavam rasos d’água.
Abraçou.
Ela, que escondia o rosto do dele.
Um fracasso.
Ou quase uma brincadeira de gato e rato.
Permaneceram grudados por alguns minutos.
_Porque está assim?
_Porque estou sofrendo diante tantas oportunidades.

1 comment:

Lari. said...

Já te disse isso antes? Há textos que me deixam sem palavras. Um texto como esse, que se expressa tão verdadeiro, tão meu, tão comum... É ótimo! Adorei o texto e sei bem o que ele representa!

BEijo;*